“P.s.: ainda amo você” – Resenha

Essa resenha pode conter spoilers para quem ainda não leu “Para todos os garotos que já amei”.

“NOVO CONTRATO DE LARA JEAN E PETER

• PETER NÃO VAI SE ATRASAR MAIS DO QUE CINCO MINUTOS.

• LARA JEAN NÃO VAI OBRIGAR PETER A FAZER QUALQUER TIPO DE ARTESANATO.

• PETER NÃO PRECISA LIGAR PARA LARA JEAN TODAS AS NOITES ANTES DE IR DORMIR, MAS PODE LIGAR SE TIVER VONTADE.

• LARA JEAN SÓ VAI A FESTAS SE TIVER VONTADE.

• PETER VAI DAR CARONA PARA LARA JEAN SEMPRE QUE ELA QUISER.

• LARA JEAN E PETER VÃO SEMPRE CONTAR A VERDADE UM PARA O OUTRO.

Só tem uma coisa, uma coisa importante da qual quero ter certeza.

— Peter.

— Que foi?

— Não quero que a gente parta o coração um do outro.

Peter ri e acaricia minha bochecha.

— Você está planejando partir meu coração, Covey?”

IMG_4015.JPG

“P.s.: Ainda amo você” é a aguardada sequência do best-seller “Para todos os garotos que já amei” — publicação ed. Intrínseca — e trouxe o desfecho dessa duologia que tomou meu coração.

O romance, mais uma vez, traz à tona a problemática da adolescência. O mais legal é que Jenny Han mostra como, apesar de simples, ela é séria. É como se um adulto conversasse com uma criança de igual para igual. Ela não faz esses dramas parecerem menores ou desimportantes. Ela os trata com divertimento, mas com delicadeza.

Na sequência podemos notar o amadurecimento da personagem principal, bem como de Kitty, sua irmã mais nova, e a forma como elas encaram o novo rumo que esse volume tomou. Além, é claro, do relacionamento delas como irmãs e em família, magnificamente bem construído pela autora.

Amo. Ele disse ‘amo’. Fico tonta. Sou uma garota amada por um garoto, e não só pelas irmãs, pelo pai e pelo cachorro. Um garoto com sobrancelhas lindas e cheio de truques.”

A Lara Jean é a mais romântica das irmãs Song. Por isso ela escreveu cartas, em primeiro lugar, por isso ela se dedica a fazer cartões nos dias de São Valentim, e sobremesas cheias de enfeites. As cenas que a autora constrói para enfatizar esse traço são as melhores. Os acontecimentos mais simples tecem a história do jeito mais encantador que já li nos livros YA. E para provar que é uma boa nerd, até referências da cultura pop a autora usa.

“Na sexta, levo os biscoitos de limão e escrevo o número da camisa dele na bochecha, o que deixa Peter feliz da vida. Ele me abraça e me joga no ar, com um sorriso enorme no rosto. Fico me sentindo culpada por não ter feito isso antes, porque foi preciso um esforço mínimo da minha parte para fazê-lo feliz. Percebo agora que são as pequenas coisas, os pequenos esforços, que mantêm um relacionamento.”

Qualquer um que já foi ou é adolescente vai se identificar em algum momento da trama e vai terminar a história abraçando o livro e querendo mais. Doce como o doce mais doce das sobremesas da Lara Jean.

“Então, pego a mão dele e a coloco no meu peito, sobre o coração.

— Você tem que cuidar bem dele, porque é seu.”

Dia Nacional do Riso – 6 on 6

No dia 6 de novembro é comemorado o Dia nacional do riso, pensando nisso eu e as blogueiras do projeto “6 on 6” resolvemos basear o post desse mês em fotografias de livros que nos arrancaram as melhores risadas.

Particularmente, não tenho nenhuma dificuldade em me divertir durante a leitura. Pelo contrário, até livros de gêneros mais sérios, em alguma cena, conseguem me fazer rir. A escolha do tema foi uma ótima oportunidade para reunir aqui alguns desses livros. Confiram 😉

  1. A Jojo Moyes tem um senso de humor incrível, e essa leitura, em particular, foi um grande mix de romance, emoção e cenas cômicas.

um mais um

2. Cidades de Papel foi um livro que tive que parar para rir antes de retomar a leitura. Nada como ler o livro certo na hora certa, né? Foi a experiência perfeita para a época perfeita da minha vida.

cidades de papel

3. Na verdade, estou procurando até hoje alguma obra do John Green que não tenha me feito gargalhar alto. Sou apaixonada pelo seu senso de humor e piadas nerds, desde o seu vlog às suas obras literárias.

john green

4. Nimona, uma das minhas leituras atuais, é um graphic novel do Noelle Stevenson, a mesma criadora das ilustrações de Fangirl, da Rainbow Rowell. O HQ mistura aventura e fantasia e ainda tem um humor fofo e nerd.

Nimona

5. Como não se divertir com Lara Jean e a forma como lida com as novas mudanças de sua vida? Em Para todos os garotos que já amei, Jenny Han criou um universo onde soltamos suspiros e risadas ao mesmo tempo.

jenny han

6. O Rick Riordan sabe como criar situações hilárias. Os olimpianos estão sempre me tirando boas risadas.pj

Não deixem de conferir os posts das blogueiras que estão participando do projeto: Psicose literária – Um amor de livroNa estrada da fantasia – No mundo dos livros – Na sua estante

Até o próximo 6 on 6!

“Para todos os garotos que já amei” – Resenha

Para todos os garotos que já amei” é um romance de Jenny Han, autora bestseller do NYTimes, e no Brasil foi publicado pelo editora Intrínseca.

Avaliei com 4/5 estrelas no Skoob.


IMG_1287

Lara Jean é uma adolescente romântica. Amou cinco garotos, platonicamente, durante sua vida. Quando sente que não está mais apaixonada, Lara Jean escreve uma carta de despedida e guarda em uma caixa azul-petróleo em seu guarda-roupa. Ela vive com seu pai e suas duas irmãs, Margot e Kitty. E há Josh, namorado de Margot que é muito próximo de todos eles.

Acontece que a família se vê incompleta quando Margot termina com Josh assim que se muda para a Escócia em busca de finalmente viver sua vida dos sonhos na faculdade.

Quando Margot viaja, Lara Jean sente a irmã se distanciar muito além da física das relações, e logo o peso e a responsabilidade de ser a nova irmã mais velha e mãe de seu lar cai sobre ela. Seu pai também está sofrendo os efeitos do “ninho vazio”, e adota a ideia de jogar coisas antigas e desnecessárias fora.

Lara Jean tem o intuito de continuar com sua rotina habitual, a fim de esquecer a falta de Margot, quando continua se encontrando com Josh. É então que ela percebe que velhos sentimentos podem estar germinando em seu coração.

Como se estar apaixonada pelo ex-namorado da sua irmã não fosse suficiente, um dia, Lara Jean acorda e descobre que em meio as tantas coisas que seu pai andou se desfazendo estava sua caixa azul-petróleo, e que suas cartas de amor foram devidamente enviadas a seus respectivos remetentes. E isso inclui Josh, Peter Kavinsky – o garoto mais bonito e popular do colégio -, e mais outros três rapazes que ela nem ao menos tem contato.

A protagonista quer se provar independente, afinal ela tem toda a pressão de suas novas responsabilidades, e então decide resolver essa confusão por conta própria. Quando Josh resolve questioná-la sobre a carta, Lara Jean tem o intuito de contornar a situação, no entanto, acaba criando um novo embaraço para sua vida.

IMG_1215

O livro tem alguns clichês como a garota rica, linda e malvada do colégio, com nome de vilã – Genevieve – que vai aprontar bastante com Lara Jean, mas, apesar disso, Jenny Han sabe como escrever um bom young adult com personagens reais cujos conflitos e pensamentos correspondem a sua faixa etária. Pude me identificar com alguns traços da personalidade da protagonista, o que me permitiu uma leitura fluida e muito agradável. Além disso, suas muitas gafes me renderam boas gargalhadas.

O livro possui uma sequência já publicada nos EUA, “P.s: Ainda amo você”, e será lançado no Brasil no primeiro semestre de 2016, pela editora Intrínseca. Para os ansiosos de plantão, você pode encomendar o segundo livro “P.S: I Still Love You” em inglês, pelo site britânico BookDepository – o frete é grátis por esse link. 🙂

Leitura mais do que recomendada para os amante de YA que estão à procura de uma narrativa adorável tanto quanto cômica. Lara Jean e os personagens secundários que compõem a sua história prometem momentos encantadores de leitura.


O livro está disponível nas grandes livrarias do país e você também pode comprar online e aproveitar que Amazon está no BOOKfriday!

Já leu ou tem vontade de conhecer as obras da Jenny Han? Conta para mim nos comentários. 😉 ❤