“November 9” – Resenha

Às vezes, sinto que se todos os romances do mundo fossem escritos pela Colleen Hoover eu leria um livro por dia. O da vez é “November 9”, publicado em novembro do ano passado pela editora Atria Books e, segundo a Galera Record, tem previsão de lançamento no Brasil para 2017 (eba!).

5/5 🌟  no Skoob


foto

“If she’s not careful, I might just fall in love with her. Tonight”.

Fallon O’Neil é filha de Donovan O’Neil, um famoso ator que interpretou o personagem Max Epcott. Fallon tinha seguido os passos de seu pai e sua carreira, aos 16 anos, já era um sucesso. Até o dia em que se acidentou em um incêndio. Em um 9 de novembro, a jovem, que estava apenas começando sua carreira, viu as perspectivas de seus sonhos mudarem de rumo quando teve 30% do seu corpo queimado.

No aniversário de dois anos do acidente, Fallon sai para almoçar com Donovan. É aí que Benton James Kessler surge para salvá-la dos conselhos pessimistas de seu pai. Ele é o primeiro cara que flerta com ela desde o acidente e, quando senta na mesa, se apresenta como namorado de Fallon, e ela, que não tinha nada a perder, entra no jogo.

Insta-love: a identificação entre os dois é instantânea. Uma linda e comum história de amor poderia começar aí, não fosse pelo fato de que Fallon está se mudando de Los Angeles para Nova York na manhã seguinte. Como eles não tem nenhuma intenção e, tão menos, coragem de perder a forte ligação que construíram em um dia, combinam de se encontrar nos próximos cinco anos no mesmo lugar, dia e horário.

“You can’t leave yet. I’m not finished falling in love with you”.

Assim é todo 9 de novembro. Com 365 borboletas no estômago dos dois jovens. Eles se encontram depois de todo um ano, e quantas coisas podem ter mudado? Ou mesmo será que eles vão se lembrar do encontro marcado com tanta antecedência?

Também sabemos que Ben, quem ajudou Fallon a valorizar suas cicatrizes e aumentar seu auto-estima, guarda algum segredo, devido algumas atitudes suspeitas nos capítulos narrados no seu POV. Entretanto, o rumo que a história toma é de cair o queixo.

Adorei como a autora criou uma metalinguagem ao colocar Ben como escritor e usar suas falas para expressar as dificuldades, rituais e pensamentos de um autor. O legal é que o seu livro é basicamente o livro de Ben, acrescentado da voz de Fallon.

Totalmente surpreendente e ainda mais emocionante, o romance é mais um na minha lista de favoritos. Colleen Hoover got the hang of it! Romântico, dramático e cômico, numa medida que só a autora faz como ninguém.

Anúncios